João Pedro
00:00 / 06:48

Ele tinha pouco mais de cinquenta anos. Figura média, vestia fato preto e trazia com ele a sua bengala branca, de cego.

              Chamava-se:                              

João Pedro Sousa

João Pedro Sousa

Era Sábado. A Igreja de Queluz estava cheia quando ele entrou. Ainda estávamos na Escola Sabatina, e a ela seguiu-se o Culto com a pregação da nossa querida Irmã Maria Augusta Pires, cuja voz e palavra são inesquecíveis.

 

Findo o Culto, cantámos um hino e, ao findar este hino, inesperadamente, o João Pedro levantou-se e pediu permissão para falar e dizer a razão por que tinha vindo ali

Prometeu que seria breve. Foi-lhe permitido vir à frente. Alguém o conduziu até à mesa da Escola Sabatina. Apresentou-se como funcionário da Câmara Municipal de Oeiras. Tinha outras funções, mas naquele momento trabalhava na função adequada à sua falta de visão.

 

Deixemos o João Pedro falar: "Eu moro em Oeiras, disse ele, e esta é a primeira vez que entro numa Igreja Adventista. Escolhi a mais perto da minha casa.

Digo-vos que me sinto muito triste por ter ficado cego. Eu pertencia ao Coro do Município de Oeiras, mas agora nem uma partitura posso ler. E o que me traz aqui a esta Igreja é para vos contar a experiência que tive nestes últimos dias.

 

Naquele dia, eu estava desolado e perdido na minha tristeza. Pedi a Deus que me ajudasse. Imediatamente apanhei o rádio que estava em cima da mesa e carreguei no botão. Ouvi a mais bela música, maravilhosamente cantada por um grupo de jovens. Fiquei feliz por aquela resposta imediata de Deus. Então procurei saber quem eram os que cantavam. Soube que esse grupo se chamava Maranata e que pertencia à Igreja Adventista. Esta é a razão por que estou aqui esta manhã.

 

Depois das palavras de acolhimento da Irmã Maria Augusta e de o João Pedro ter sentido a manifestação de apreço de toda a Igreja, ao despedir-nos, cada um de nós teve a oportunidade de o abraçar. Ficámos com o seu contacto e prometemos ajudá-lo. Já não me lembro qual foi a família que o foi levar a casa nesse Sábado.

 

A resposta da Igreja de Queluz ao apelo do João Pedro foi, em primeiro lugar, uma equipa de gravação do texto da Escola Sabatina para o Sábado seguinte e, em segundo lugar, a criação de uma equipa de transporte todos os Sábados para o ir buscar e levar a sua casa. Foram vários os elementos da gravação, mas só vou lembrar o nome do primeiro, que se disponibilizou a fazer a gravação no seu computador, ele já não está entre nós, chamava-se Horácio Caprichoso. Da equipa dos transportes, eram vários os elementos, mas apenas vou lembrar um, que também já não está entre nós, o Armando Louro.

 

O João Pedro recebeu os Estudos Bíblicos necessários para a sua entrega a Jesus através do baptismo. Fez parte do nosso côro como tenor e pertenceu à nossa Igreja até ao fim da sua vida. Daí a alguns anos, faleceu na esperança da ressurreição.

O Projecto Ómega, nascido em 1994, já lá vão vinte e sete anos, nasceu da necessidade de fornecer material gravado com a Palavra de Deus àqueles que não podem ler a palavra escrita. O caso do João Pedro foi a semente deste projecto. Ele cresceu à medida que fomos tomando conhecimento de outras pessoas cegas, não só em Portugal, mas também no estrangeiro. Como escreveu o Pastor Ernesto Ferreira, no seu livro Arautos das Boas Novas, na pág. 432, este Projecto tem sido apoiado pela Igreja de Queluz, a nossa Igreja, não deixando de ser um Ministério Pessoal. Temos alguns livros do Espírito de Profecia gravados e outros que consideramos importantes. Também temos alguns sermões de alguns Pastores cuja voz natural já não podemos ouvir.

 

Gravar cerca de 92 ficheiros de Meditações Matinais e outros tantos de Lições da Escola Sabatina, que é o trabalho que fazemos em cada Trimestre, é muito e requer muita dedicação e cuidado. Agradecemos muito à nossa Casa Publicadora a concessão dos textos das Lições, para que, com a devida antecedência, possamos prepará-los para a gravação. Agradecemos também a todos os que gravam, e fazem-no com alegria e espírito voluntário. Não vamos mencionar nomes, porque nos podemos esquecer de alguns, porque todos eles são preciosos. Temos tido o cuidado de enviar o material gravado para os CTT, de forma a que cheguem aos nossos Utentes 10 ou 15 dias antes de o Trimestre começar.

 

Há umas palavras muito importantes na Palavra de Deus, dirigidas ao Projecto Ómega. Encontram-se no capítulo 1 de Apocalipse, verso 3. “Bem-aventurado aquele que lê e os que OUVEM as palavras desta Profecia e guardam as coisas que nela estão escritas, porque o tempo está próximo”.

Prezados Irmãos, leitores da Revista Adventista, façamos com que os nossos cegos sejam participantes desta Bem-aventurança. O meu marido e eu estamos empenhados nesta tarefa, mas a idade e a doença traz as suas consequências, e não poderemos por muito mais tempo continuar. Este Projecto necessita de dinamização para se desenvolver e continuar a prestar serviço para os nossos Irmãos cegos. O Senhor já proveu quem irá continuar este trabalho tão importante. Deus abençoe grandemente quem se disponibiliza nesta corrida, desfraldando a Bandeira da Palavra de Deus gravada, com mais energia, com maior velocidade, porque “O Tempo está Próximo”.

Estamos felizes porque o testemunho da Palavra gravada para os nossos Irmãos cegos passou para as mãos de alguém que trabalha para a Publicadora e, ao mesmo tempo, tem o seu  coração e responsabilidades na Igreja de Queluz. O Paulo Santos aceitou o convite de Deus e disponibilizou-se para este maravilhoso trabalho. Ao meu sobrinho, a quem chamo por amizade o Paulo, desejo as mais ricas bênçãos de Deus para o guiar e inspirar neste trabalho e também que muitas vozes voluntariamente apareçam para o ajudarem nesta grande tarefa de gravação das Lições da Escola Sabatina e das Meditações Matinais. A todos os Utentes deste Projecto agradecemos de todo o coração o carinho e a consideração recebida da vossa parte. A todos os que gravaram durante todos estes anos as Lições, as Meditações, os Livros e os Sermões desejamos que o Senhor vos recompense grandemente nas mais ricas bênçãos espirituais.

                                                                                                                                                          IVONE ALHO